Fotógrafos Nikkeis - Haruo Ohara

By Marcio Saiki - junho 30, 2009

Fotógrafos Nikkeis - Haruo Ohara (1909-1999)

Haruo Ohara imigrou para o Brasil no ano de 1927 para trabalhar nas lavouras de café do interior paulista. Em 1933 ele adquiriu terras no norte do Paraná e mudou-se para a cidade de Londrina, que estava apenas nascendo. Trabalhou com lavoura de café e produção de frutas e flores. A partir do ano de 1938, começou a fotografar o cotidiano familiar através de uma câmera adquirida de um amigo, José Juliani, também fotógrafo em Londrina.

Em 1951 fundou junto com outros fotógrafos o Foto-Cine Clube de Londrina e associou-se ao Foto-Cine Clube Bandeirantes de São Paulo.
Em 1955 teve que vender suas terras para a construção do aeroporto da cidade e a partir desta data intensificou seu trabalho fotográfico, apesar de ainda ter como fonte de renda as culturas provenientes das terras adquiridas em Terra Boa.
Participou de salões fotográficos, mostras coletivas, pesquisou e estou muito sobre a estética fotográfica de sua época, mas o grande reconhecimento só veio no final de sua vida.

Em 1988, nas comemorações dos 80 anos de imigração japonesa foi homenageado pelo pioneirismo e pela obra fotográfica que representa a história de Londrina. E foi aí que vi pela primeira vez suas obras.
Dez anos mais tarde o Festival Internacional de Teatro de Londrina organizou sua primeira mostra individual com 70 imagens que depois também foram expostas no Rio de Janeiro, em Brasília e em São Paulo (na coleção Pirelli/Masp de fotografia).
Em 2003 foi lançado o livro: “Lavrador de Imagens – uma biografia de Haruo Ohara” (2003),com textos de Marcos Losnak e Rogério Ivano, fotos de Haruo Ohara, José Juliani e Saulo Haruo Ohara, neto de Haruo.

Em 2008, nas comemorações do centenário da imigração japonesa no Brasil novamente suas obras puderam ser contempladas na Galeria de Arte do SESI, durante a mostra “Japão: mundos flutuantes”.
Na tentativa de preservar adequadamente o acervo, a família doou 20 mil negativos e objetos pessoais como equipamentos, anotações, etc.. do fotógrafo ao Instituto Moreira Salles e agora figuram ao lado de outros grandes nomes, como Claude Lévi-Strauss e Hans Gunter Flieg.
Em Curitiba sua obra exposta numa mostra no Museu da Fotografia ao lado de grandes nomes como Améris Paogini, Beatriz Dantas, Bob Wolfenson, Boris Kossoy, César Barreto, Cláudia Jaguaribe, Cristiano Mascaro, Evandro Teixeira, João Urban, entre outros.
O diferencial de seu trabalho era o planejamento detalhado de cada elemento da foto, cuidando da posição, enquadramento e luminosidade até conseguir o resultado desejado. Ohara faleceu em 1999, mas já havia parado de fotografar desde 1994.




Coleção Pirelli/MASP

  • Share:

You Might Also Like

1 comentários